sábado, 23 de julho de 2016

"Que não se perca tempo"

Chega um momento na vida que as poucas companhias que temos, é tudo que temos.
Sabemos exatamente das pessoas que nunca vão nos abandonar, mas queremos a companhia daqueles que não temos certeza.
Passamos a ter certeza de que todos os dias são preciosos exatamente quando eles chegam ao fim e nada mais podemos fazer para que ele não tenha sido desperdiçado.
O final de cada dia é a real certeza de que o tempo não espera por nada...
Ao ver os dias passarem sem que as reflexões apareçam, começo a questionar a minha velocidade de viver. As vezes acho que nada irá esperar a lentidão dos meus passos, dos meus pensamentos e das minhas decisões.

A velocidade da vida me assusta e me faz acelerar meus passos mesma sem ter certeza das minhas escolhas e reais necessidades”.

Escrito em 31 de dezembro de 2010, no Aeroporto do Porto, esperando o vôo para Barcelona às 6:30.









quarta-feira, 28 de outubro de 2015

quarta-feira, 27 de maio de 2015

P e r c e p ç õ e s

(...)
É que parece que todo sorriso no rosto é sinal de felicidade.
É que está difícil explicar o que é e o que não é, para pessoas que não estão a fim de ouvir e entender isso nem aquilo.
É que dialogar está cada dia mais difícil, mais incompreensível, mais cansativo... todo mundo já sabe de tudo e ninguém está querendo perder tempo com aquilo que acha que já sabe.
É que está comum ouvir, “você não me entendeu”, ou “desculpa, eu não entendi você”.
É que prestar atenção no outro está ficando muito difícil.
É que para as pessoas saberem que você está triste, você precisa chorar... #sóquenão
É que nos dias atuais, tudo é visual, tudo é foto e redes sociais...sorrisos e biquinhos.
É que ser real ficou chato, bom mesmo é ser virtual, conecta e desconecta. 
É que a vida parecia tão simples, mas com o passar dos anos nos damos conta que ela não é tão simples assim! 
É que, depois de tudo, desaparecer nessa era virtual é tão difícil quanto estar presente.
(...)

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Ser Forte

Ouvimos bastante a palavra "forte", quando alguém faz algo que nos chama atenção, ou que não faríamos, costumamos caracterizá-lo de forte. Existe uma beleza em ser forte... 

O texto de Flávio Gikovate caracteriza facilmente quem é este alguém forte. Antes de mais nada, alguém que tem "gênio forte" não tem nada a ver com alguém que "é forte".






_Uma Pessoa Verdadeiramente Forte_ 


"(...) Se pensarmos mais profundamente, perceberemos que as pessoas de "gênio forte" conseguem fazer prevalecer seus desejos apenas nas pequenas coisas do cotidiano. Elas decidirão a que restaurante os outros irão; a que filme o grupo irá assistir; se a família vai para a praia no fim de semana e assim por diante. As coisas verdadeiramente importantes - a saúde delas e a das pessoas com quem convivem; o sucesso ou fracasso nas atividades profissionais, estudos ou investimentos; as variações climáticas e suas tragédias, como inundações, desabamentos e terremotos; a morte de pessoas queridas - não são decididas por nenhum de nós. O que leva os de "gênio forte" a comportamentos ridículos: berram, esperneiam e blasfemam diante de acontecimentos inexoráveis, e contra os quais nada podemos fazer. Reagem como crianças mimadas que não podem ser contrariadas! Afinal de contas, isso é ser uma pessoa forte?
É claro que não. Querer mandar nos fatos da vida, querer influir em coisas cujo controle nos escapa, não é sinal de força, como também não é sinal de bom senso, sensatez e de uso adequado da inteligência. Talvez fosse muito bom se pudéssemos influir sobre muitas coisas que são essenciais. Mas a verdade é que não podemos. Isso nos deixa inseguros, pois coisas desagradáveis e dolorosas podem acontecer a qualquer momento. E não serão nossos berros que impedirão nossos filhos de serem atropelados, nossos pais de morrerem, nossa cidade de ter enchentes ou desabamentos.
O primeiro sinal de força de um ser humano reside na humildade de saber que não tem controle sobre as coisas que lhe são mais essenciais. Sim, porque este indivíduo aceitou a verdade. E isso não é coisa fácil de fazer, especialmente quando a verdade nos deixa impotentes e vulneráveis.
O segundo sinal, e o mais importante, é a pessoa compreender que ela terá que tolerar toda a dor e todo o sofrimento que o destino lhe impuser. E mais - e este é o terceiro sinal -, terá que tolerar com "classe" e sem escândalos. Não adianta se revoltar. Não adianta blasfemar contra Deus. Ser forte é ter competência para aceitar, administrar e digerir todos os tipos de sofrimento e contrariedade que a vida forçosamente nos determina. É não tentar ser espertinho nas coisas que são de verdade. As pessoas que não toleram frustrações, dores e contrariedades são as fracas e não as fortes. Fazem muito barulho, gritam, fazem escândalos e ameaçam bater. São barulhentos e não fortes - estas duas palavras não são sinônimos!
O forte é aquele que ousa e se aventura em situações novas, porque tem a convicção íntima de que, se fracassar, terá forças interiores para se recuperar. Ninguém pode ter certeza de que seu empreendimento - sentimental, profissional, social - será bem-sucedido. Temos medo da novidade justamente por causa disso. O fraco não ousará, pois a simples idéia do fracasso já lhe provoca uma dor insuportável. O forte ousará porque tem a sensação íntima de que é capaz de agüentar o revés.
O forte é aquele que monta no cavalo porque sabe que, se cair, terá forças para se levantar. O fraco encontrará uma desculpa - em geral, acusando uma outra pessoa - para não montar no cavalo. Fará gestos e pose de corajoso, mas, na verdade, é exatamente o contrário. Buscará tantas certezas prévias de que não irá cair do cavalo que, caso chegue a tê-las, o cavalo já terá ido embora há muito tempo. O forte é o que parece ser o fraco: é quieto, discreto, não grita e é o ousado. Faz o que ninguém esperava que ele fizesse."

A criança que fomos um dia, nos diz o adulto que somos hoje. 
As crianças de gênio forte, não serão os adultos fortes. 

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Os opostos que se conectam


Esta semana o consagrado fotógrafo brasileiro, Sebastião Salgado, colocou esta foto em sua página do facebook, com a seguinte pergunta: 

What do you think could be the main idea for this picture?

(O que você acha que poderia ser a principal ideia desta foto?)

Não sei o que ele pensou...
Mas quase 900 usuários do facebook deixaram sua idéia sobre a mensagem desta foto... 
No geral todos partiram de uma mesma ideia: os opostos que se conectam,

O passado e o futuro,
O jovem e o velho,
O aprender e o desaprender,
O começo e o fim,
O bonito e o feio,
O útil e o inútil...

A imagem traz uma mensagem de muita reflexão. Há uma conexão entre o garotinho e a velhinha.
Os dois precisam de cuidado. E o cuidado vem de pessoas...  
Neste caminho entre nascimento e velhice precisamos de pessoas... precisamos de atenção... precisamos de sentimentos... precisamos achar o sentido das pessoas na nossa vida...
Precisamos substituir as "muletas" por um braço que nos apóie. Uma mão que nos guie. Um abraço que nos fortaleça. 

O início e o fim é certo, incerto é como iremos preencher o espaço entre os dois. 




terça-feira, 1 de outubro de 2013

Uma mente brilhante

"Sonhos e pesadelos, assim como o passado ... só existe se nós os alimentamos" 

Vivamos o Presente!!

Mensagem que deixa o filme - Uma mente brilhante

terça-feira, 10 de setembro de 2013

"O despertar de uma nova consciência"

Um livro que o mundo deveria ler.

download do livro em PDF

Você já parou para refletir sobre seu eu consciente e inconsciente? Quem é seu eu? Quem é seu ego?

Apenas um trecho do livro:

"O ego tende a equiparar ter com ser: eu tenho, portanto eu sou. E, quanto mais eu tenho, mais eu sou. Ele vive por meio da comparação. A maneira como os outros nos vêem nos transforma em como nos vemos. Se todas as pessoas vivessem em mansões ou fossem ricas, suas casas luxuosas e sua riqueza não serviriam mais para destacar sua percepção do eu. Alguém poderia então se mudar para uma cabana simples, renunciar à fortuna e recuperar uma identidade sendo ele mesmo e sendo considerado mais espiritualizado do que os outros. O modo como um indivíduo é visto pelos demais torna-se o espelho que lhe diz como e quem ele é. Na maioria das vezes, a percepção do ego sobre o valor pessoal está ligada ao valor que a pessoa tem aos olhos dos outros. Ela precisa que eles lhe dêem uma percepção do eu. Caso viva numa cultura que, em grande medida, equipara seu valor a quanto e ao que ela possui, é bom que seja capaz de detectar essa ilusão coletiva para não ser condenada a correr atrás de coisas pelo resto da vida na vã esperança de encontrar seu valor e satisfazer sua percepção do eu." 

Eckhart Tolle.

Busca

Carregando...